O termo Scrum vem de uma formação do esporte Rugby e teve seu início em 1986 como um estilo de gerenciamento de projetos em empresas de automóveis e produtos de consumo. Seus criadores, Takeuchi e Nonaka, perceberam que, semelhante a uma equipe de Rugby, os projetos executados  por equipes pequenas e multidisciplinares produziam melhores resultados.

(Rugby – A modalidade, que usa as mãos e raramente tem chutes na bola, segue um código de ética baseado em cinco valores, que são fielmente seguidos e que se resumem na sigla DRIPS (Disciplina, Respeito, Integridade, Paixão e Solidariedade). Vamos ao que cada um deles representa.)

Usado geralmente por grandes empresas, os princípios do Scrum  podem ser usados em diferentes departamentos: RH, financeiro, tecnologia, marketing, entre outros.

Baseado na melhoria contínua, a ideia inicial da metodologia é manter o foco para que as entregas de um projeto sejam mais ágeis, bem organizadas, com  maior  valor e possíveis de serem executadas no menor tempo possível por toda a equipe, permitindo que pessoas desenvolvam ou melhorem um projeto complexo de forma adaptativa.

E para que tudo isso seja possível de ser realizado, há também a necessidade de constante feedback entre os envolvidos no processo.

Para a implementação do framework Scrum em uma empresa é fundamental que seus princípios e valores sejam bem compreendidos.

Princípios:

Transparência: é importante que cada membro da equipe tenha consciência do seu papel, do papel do outro e de todas as tarefas em andamento.

Inspeção: todos devem estar atentos às tarefas e totalmente integrados ao processo. A inspeção deve ser feita com frequência.

Adaptação: A interação entre a equipe permite adaptar um processo de forma ágil e eficiente, quando houver necessidade.

Valores:

  1. Comprometimento: os envolvidos no processo devem se comprometer uns com os outros, assim como deve haver um esforço contínuo para que os objetivos sejam estabelecidos de forma clara e atingidos no prazo determinado.
  2. Coragem: trabalhar em problemas difíceis sem esquecer da qualidade na execução é fundamental para o desenvolvimento assertivo e ágil.
  3. Foco: a equipe precisa manter sempre o foco nos objetivos do projeto.
  4. Abertura: estar aberto aos desafios relacionados ao processo e às atividades em andamento.
  5. Respeito: Toda a equipe precisa se respeitar para que todos possam ter independência no trabalho em execução.

Alguns exemplos de aplicação do Scrum:

Na área de tecnologia, no desenvolvimento de:
Softwares comerciais
Sistemas
Websites
Games

Também usado em outras áreas:
Planejamento de eventos
Campanhas de Marketing
Gerenciamento de Marketing Digital
Técnicas de aprendizagem
Projetos pessoais

O processo completo do framework Scrum embora pareça complexo, é muito simples, mas para que os objetivos sejam atingidos é necessário que seja implantado, estudado e compreendido conforme suas regras de aplicação.

Existem no mercado diversos cursos disponíveis e o investimento nesse framework pode fazer uma grande diferença na rotina de uma empresa, elevando, dessa forma, o nível de assertividade de todos os projetos.